Na Lemavos, a produção de licores vem de tradição familiar. Em 2011, a empresa aprovou um projeto de subvenção econômica à inovação na FAPESB. Este projeto teve como objetivo profissionalizar o processo de fabricação sem perder as características artesanais. Isso possibilitou melhorar a qualidade dos licores, padronizar as receitas e atender a todos os requisitos de segurança alimentar. Em 2015, a Lemavos aprovou outro projeto de subvenção econômica à inovação, desta vez no CNPq. Este projeto permitiu padronizar os processos de pesquisa e desenvolvimento de novos licores e ampliar o portfólio; permitiu também pesquisar o plantio, cultivo e transporte de frutas utilizadas na fabricação, mas que carecem de pesquisa (jenipapo, tamarindo e jabuticaba); identificou também as características da produção de licores do Recôncavo que aponta para o potencial dessa atividade ser reconhecida como uma denominação de origem. Em 2017, aprovou um terceiro projeto, também no CNPq, no qual amplia sua pesquisa em nível internacional e busca dar uma melhor destinação aos resíduos da produção, que atualmente é usada em compostagem. Neste sentido, temos o orgulho de dizer que a quantidade de lixo produzido pela fábrica é menor do que de uma família com três pessoas. Para uma fábrica, isso é incrível! Ainda temos mais: contribuímos para o fortalecimento da agricultura familiar porque parte considerável de nossas frutas são compradas dela. Até o momento, temos como resultado: 01 patente de invenção; 04 marcas registradas; 05 projetos de iniciação científica; 08 trabalhos de conclusão de curso em engenharia; 01 dissertação de mestrado; 01 tese de doutorado e ainda muito mais por vir. Nesta caminhada, contamos com diversos parceiros: UFBA, IFBA, SENAI CIMATEC, UNEB, IESB, LNF e muitos outros. Tudo isso para fazer um licor de excelência e fortalecer a cultura brasileira, em especial a nordestina. Viva!

Ah, não acambamos. Estimulamos o desenvolvimento da arte ao comprar obras de artistas locais e divulgar em nossos produtos. Os licores de caju e tamarindo, assim como a geléia de cacau ilustra algumas dessas obras.