No Recôncavo da Bahia ocorreram diversos eventos históricos relevantes para o Brasil. Dois exemplos mais notáveis foi o surgimento do samba, no qual o licor Brazeiro de jenipapo faz uma homenagem, e a luta de independência da Bahia, em 2 de julho de 1822. Ressalta-se que a independência da Bahia ocorreu antes da independência do Brasil. O nome “recôncavo” vem do formato que a Baia de Todos os Santos dá à região. Baia esta que foi nominada pelo geógrafo Américo Vespúcio, por ter sido encontrada no dia 01 de novembro de 1501, dia de todos os Santos. Américo Vespúcio fazia parte da expedição liderada por Gaspar de Lemos, família Lemos originária dos Lemavos.

O primeiro ciclo econômico do Recôncavo foi a produção de cana-de-açúcar ainda durante as capitanias hereditárias. Em seguida surgiu a produção de fumo. Nesta época, alguns produtores de fumo produziam licores para dar de presente aos clientes. Ao longo do tempo, a produção de licores foi se incorporando à cultura local, se associando principalmente aos festejos juninos.

É neste contexto que surge a Lemavos com os licores Brazeiro. E para contribuir para o desenvolvimento da cultura do Recôncavo, a Lemavos liderou diversas pesquisas científicas para profissionalizar a produção de licores. Muitas destas pesquisas estão "dentro dos licores Brazeiro", ao incorporar tecnologias da produção de vinhos adaptadas à produção dos licores. Outras pesquisas, no entanto, não é possível beber (é uma pena...). Então compartilhamos para todos terem acesso (abaixo). Viva São João!

Manual para obtenção de registro de produto e informações obrigatórios para rótulo de bebida álcoolica por mistura

Qualificação da mão de obra da cadeia produtiva de aguardente e outras bebidas destiladas do Recôncavo da Bahia: uma análise a partir dos dados da RAI

Indicação de Procedência: potencial do Recôncavo a Bahia no reconhecimento da produção artesanal de licores de frutas

Indicações Geográficas como estratégia para o desenvolvimento regional